sábado, 15 de junho de 2013

PRONTOS PARA A VOLTA DO SENHOR – LUCAS 12.35-48



LUCAS 12.35-48

DIVISÃO DO TEXTO
1.      Os servos vigilantes – vv.35-38
2.      O pai de família – vv.39,40
3.      O mordomo fiel – vv.41-47
4.      Conclusão – v.48
O CONTEXTO
Gira em torno da avareza (13-21) e da ansiosa solicitude pela vida (22-34). A demasiada preocupação com a vida terrena desviava o foco da verdadeira vida tida como tesouro no céu (v.34). Diante disto, o mestre nos orienta a vivermos nesta terra não alheia às responsabilidades terrenas, mas, como;
1. OS SERVOS VIGILANTES – 35-38
a.      Corpo cingido – v.35a
b.      Candeias acesas – v. 35b
c.       Constante prontidão e vigilância – v.36,37
Como recompensa serão servidos pelo seu senhor que irá; cingir-se, dar-lhes lugar à mesa e servi-los.
2. O PAI DE FAMÍLIA – 39,40
a.      Tem suas responsabilidades – v.39
b.      Mesmo repousando está de prontidão – v. 39
c.       Resistiria ao ladrão não deixando roubar sua casa – v.39
3.O MORDOMO FIEL – 41-47
a.      Despenseiro dos bens divino
b.      Serve fielmente
c.       Apesar do seu alto posto, continua escravo. Portar-se como dono, significa usurpação.
 TEMA : PRONTOS PARA A VOLTA DO SENHOR – LUCAS 12.
INTRODUÇÃO
“Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração.”
A demasiada preocupação com a vida terrena desviava o foco da verdadeira vida tida como tesouro no céu. Jesus ao pronunciar as parábolas do servo, do pai de família e do mordomo fiel, ainda está pensando nos perigos da avareza, de estar alguém fortemente preso às coisas materiais e temporais. O verso 34 é uma transição para Ele expor a necessidade da vigilância quanto à Sua vinda. Jesus antes de tratar sobre o seu iminente retorno, ele deixa-os de sobre aviso que, para estarem prontos para a volta do Senhor, eles precisam estar com o coração nas coisas espirituais, celestes e não presos às demandas da vida terrestre.
Jesus começa sua exposição pela conclusão; “Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias.(12:35).
Tantos os servos, como o pai de família e o mordomo deveriam viver nesse mundo cumprindo suas responsabilidades sem, contudo, esquecer-se de suas responsabilidades para com o seu senhor que havia se ausentado, mas que voltaria em uma hora não marcada e os seus servos deveria prestar contas do serviço que foi feito. Percebemos pela leitura do texto que o peso está no fato de serem encontrados fazendo algo. Por esta razão não quero me ater nos que não formam encontrado negligenciando mas, nos personagens que nos inspiram a vivermos a vida trabalhando para o Senhor da maneira adequada à sua vontade.
Hoje, deixarei as regras da Homilética e da hermenêutica de “folga” e não me prenderei ao sentido expositivo do texto, mas, me utilizarei de um paralelo com o texto de êxodo 12.11 para trabalhar a ideia de estamos preparados para sairmos desta terra ao encontro do Senhor:
“Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta [é] a páscoa do SENHOR.”
1. ESTEJAM CINGIDOS OS VOSSOS OMBROS
a.      Lombos cingidos falam de preparação. Quem espera por algo deve se preparar para tal. É fácil perceber quem esta a espera de alguma coisa. Basta saber se ela esta se preparando ou preparada. Se estivermos na expectativa da volta de Jesus assim como os israelitas estavam para saírem do Egito rumo à terra prometida, preparemo-nos.
Três mil anos atrás [...] as mulheres (e os homens) usavam roupas bem soltas. Para realizar trabalhos físicos precisavam segurar a roupa e prendê-la com um cinturão. Só assim poderiam movimentar-se livremente. Esse cinturão por cima da roupa era uma preparação necessária para o trabalho pesado e também para esforços prolongados[1].
Será muito desagradável se o Senhor voltar e encontrar os seus servos despreparados = lâmpadas apagadas e roupas soltas. Em sua época a roupa que os homens usavam era uma túnica comprida e para que houvesse mobilidade e liberdade para o trabalho era necessário o uso de um cinto. O homem com os lombos cingidos estava apto para andar rápido e ou trabalhar com mais afinco, uma vez que as roupas largas e livres dificultariam os seus movimentos.
b.      Lombos cingidos falam de pressa. Quem espera por algo espera com ansiedade. Precisamos sair deste mundo, e precisamos ter pressa ansiando que este dia chegue logo. Devemos vivar aqui na expectativa de imediatamente sermos tirados desse mundo manchado para o pecado e sermos conduzidos para um ambiente proporcional ao nosso novo estado de salvação, a glorificação.
Temos uma viagem para ser feita e precisamos está prontos. Esse texto me faz lembra do Êxodo:
 (Êx 12.11).
Existem homens e mulheres que mesmo depois de convertidos, vivem uma vida parada e estagnada. Estão esperando a vinda de Cristo, mas não estão preparados para ela! Estão parados! Não cresceram em Deus, não amadureceram, são exatamente do mesmo tamanho que nasceram no dia em que se converteram. E isso é muito sério, pois sem preparação ninguém vai poder viajar para o Céu. Muitos esperam o arrebatamento, mas nem todos que esperam serão arrebatados!
c.       Lombos cingidos falam de serviço. Foi o que fez Jesus após a ceia. Para lavar os pés dos discípulos, cingiu-se. Jesus disse que devemos fazer a obra daquele que nos enviou enquanto é dia. Ou seja, enquanto é tempo. Porque a noite virá, quando ninguém mais poderá trabalhar. Os que estão cingidos são os que trabalham até o mestre voltar.
Os lombos cingidos nos falam de prontidão e serviço. Se encaixa mais com trabalhos diários. Mas, a prontidão deve ser constante. Por isso Jesus nos orienta a estarmos preparados para os desafios da noite;
2. E ACESAS AS VOSSAS CANDEIAS
a. Candeias acesas falam de vigilância. É preciso estar preparado, ansioso e trabalhando, mas é preciso também estar vigilante e atento. Esperar por algo é estar de olhos bem abertos. É não dormir no ponto.
A preparação para a volta do Senhor exige que estejamos com a Luz acessa!
O Povo de Israel naqueles dias não precisava se preocupar com isso, pois Deus havia providenciado uma coluna de fogo para que eles pudessem caminhar a noite. Hoje nós somos a luz! Cada vez que você faz a diferença, você brilha nas trevas deste mundo, essa é a vontade de Deus pra mim e você, que quando olharem para nós possam nos ver como um referencial, um modelo de Cristo para todos que ainda não o conhecem.
b. O homem com sua lâmpada acesa também sugere alguém apto para atender o seu Senhor no momento em que este lhe bater à porta. Para levar adiante a ordem de honrá-lo e de estarem prontos para a chegada do Mestre, eles tiveram que ter certeza de que suas lâmpadas estavam cheias com óleo e os pavios bem aparados. Isto envolveu uma despesa de energia e uma despesa de dinheiro. Custou um pouco de sono bem como alguns recursos. Servir a Jesus sempre nos custará algo. Nós poderíamos dizer que serviço sem sacrifício não é verdadeiro serviço.
Exemplos de sacrifícios:
·         Sacrifique o seu namoro – a companhia do Espírito mais preciosa
·         Sacrifique seu tempo na internet – está em comunhão com Deus é mais importante
·         Sacrifique seu tempo com amigos não convertidos – seu tempo meditando na Palavra é mais produtivo
·         Sacrifique seu corpo à Deus em vez de entrega-lo aos desejos da carne – viver pra Deus pode nos trazer dores e sofrimentos, mas, nos reserva uma eternidade de gozo.
·         Sacrifique seu telefone deixando-o desligando pelo menos no culto – a mensagem do Céu precisa ser mais importante do que as msg’s.
Não cometa sacrifício de tolo, sacrifique só quando necessário
3. PRECISAMOS ESPERÁ-LO MEDIANTE A FÉ – v.40
“Portanto, estai vós também apercebidos; porque virá o Filho do homem à hora que não imaginais.
Os servos precisavam ter o corpo cingido com as lamparinas acessa para receber a qualquer hora o seu senhor. O pai de família mesmo no repouso do seu lar, precisava estar sempre atento à inesperada vinda do ladrão. O mordomo deveria cuidar dos demais e corresponder à confiança do seu senhor fazendo a sua vontade, para que, quando voltasse o recompensasse.
Semelhantemente o povo de Israel sabia que estava indo para uma Terra que manava leite e mel, mas se você perguntasse a qualquer um deles como chegariam lá? Eles não saberiam dizer. Com exceção de Moisés ninguém mais havia saído do Egito, eles haviam nascido lá, pois já se passava 430anos que o povo de Israel era escravo. Quando saíram eles não sabiam como seria difícil fazer uma viajem de 250km, em pleno deserto, onde teriam obstáculos para transpor como a travessia do Mar Vermelho, falta de comida e água, enfrentamento de víboras venenosas, inimigos que iriam matar os que ficavam um pouco para trás, motins, lepra, e muitos outros desafios. Onde arranjar comida e água? Como manter a ordem, sem que houvesse furtos, roubos e assassinatos, pois estamos falando de quase dois milhões de pessoas. Como cuidar de crianças e idosos em uma viagem tão agressiva?
Viajar com Deus exige fé e dependência, pois se você olhar para os obstáculos você não vai!
O povo estava acostumado a depender do homem ( Faraó), pois ainda que ele fosse um ditador, ele os mantinha vivos com comida e água, mas Deus não é assim! Ele quer nos dar mais do que comida e água, ele quer nos dar tudo que precisamos, mas primeiro precisamos aprender a viver na dependência de alguém que não vemos. Isso é exercitar a fé!
Quando falamos em arrebatamento, em ir embora deste mundo, vemos as pessoas torcendo o nariz e fazendo pouco caso, mas nós que já estamos preparados para a viagem cremos, mesmo sem saber exatamente como, mas cremos pela fé que Jesus está voltando! E irá nos levar ao Céu. As coisas deste mundo não podem ir conosco, (Mt 07:13), as vezes estamos envolvidos demais no Egito para não viajarmos até Canaã, ( Mt 13:22), mas se queremos sair deste mundo de escravidão precisamos nos despojar de tudo que há neste mundo e deixar para trás o Egito, pela fé.
CONCLUSÃO
A palavra vigilância significa: “ficar acordado”, “estar em prontidão constante”, “estado de alerta”. As vigílias eram divisões da noite, que diferiam conforme o costume judeu ou romano. Das seis às nove da noite; das nove à meia noite; de meia noite às três da madrugada e de três da madrugada às seis da manhã.
O servo deveria manter-se acordado e ficar atento porque o Senhor poderia chegar a qualquer hora. Estamos disponíveis para servir ao Senhor em qualquer tempo?
“Eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras.” (Ap 2212)
Amém!
Ev. Járber Sousa
Em 14 de junho de 13, às 11:51
Ministrado na AD Ilhotas, Teresina-PI


[1] GEORGE, Elizabeth. Bela aos olhos de Deus. Campinas, SP: Editora United Press, 2002. p. 117.

Nenhum comentário:

Postar um comentário