quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

VIVENDO SEGUNDO A VONTADE DE DEUS – Romanos 12.1,2




“1 Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2 E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

INTRODUÇÃO

Paulo escreveu esse texto numa época totalmente diferente da nossa, há séculos atrás, onde muitas coisas que existem hoje não existiam. Porém, existia o pecado, a imoralidade e, o apóstolo identificou a necessidade de uma transformação, de uma renovação. Quando se fala de transformação é constatado que há uma necessidade de mudança. O apóstolo Identificou que deveria haver uma renovação na mente, na maneira de pensar para poder experimentar a vontade de Deus. Mas por que o apóstolo falou isso? Por que ele destacou a importância de transformação? Esse texto destaca alguns princípios e queremos estudá-los. 

A Bíblia diz que o mundo e suas paixões passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre (1 Jo 2.17).
Portanto, para vivermos uma vida reta em um mundo torto, santa numa sociedade corrompida e manchada precisamos atentar para alguns requisitos neste rogo de Paulo.
Viver no mundo e não ser do mundo, andar em meio à lama e não sujar as vestes. Este é o grande desafio! Difícil mas não impossível. Fazendo a vontade de Deus chegaremos do outro lado das muralhas. Porém, para vivermos os nossos dias aqui neste mundo que jaz no maligno, fazendo a vontade de Deus, precisamos;

1. SER UMA OFERTA AO SENHOR – v.1

“que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus”

Nos capítulos de 1 a 12, Paulo abordou o sacrifício que Cristo fez por nós na cruz como prova da misericórdia de Deus; agora, ele versa sobre o sacrifício que devemos oferecer a Deus como prova de nossa gratidão a ele.
a.      Pelas misericórdias de Deus. Paulo sabia que só conseguiríamos levar uma vida de consagração se fosse “pelas misericórdias de Deus”. Misericórdia é quando Deus deixa de dar ao pecador o que ele merece (punição de Deus). Ele é Justo e Santo. E tem misericórdia de nós porque em vez de pagarmos pelos nossos próprios pecados, é Cristo quem paga. Foi Ele quem morreu por nós. Ele é a expressão máxima da misericórdia de Deus
b.      De uma vez por todas, é o sentido da expressão ‘apresentar’. Fala de uma entrega definitiva do corpo ao Senhor, como os noivos se entregam um ao outro na cerimônia de casamento.
c.       Em sacrifício vivo; o corpo humano diferente dos sacrifícios do A.T. não é apresentado para ser morto. É claro que quando nos unimos com Cristo, morremos para o pecado, mas, precisamos estar vivos para com Deus: “Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.” (6.13).
É um corpo vivificado dentre os mortos que devemos apresentar. O termo ‘vivo’ indica a permanência dessa oferta, portanto deve ser uma dedicação constante.
d.      Santo e agradável a Deus; para que o sacrifício seja agradável à Deus, precisa seguir o princípio normativo que é a santidade. Devemos viver a vontade de Deus em constante santidade, consagrados, separados e reservados para o serviço de Deus.
Nós não precisamos mais oferecer um cordeiro morto sobre o altar. Cristo já o fez, entregando-se a si mesmo, uma vez por todas obtendo eterna redenção. Porém, tudo o que devemos fazer para valorizarmos e honrarmos em gratidão o sacrifício de Cristo é apresentarmos o nosso corpo vivo, pois foi comprado por um alto preço e por isso deve ser valorizado glorificando a Deus.
e.      Este é um culto racional; razoável, lógico e sensato. Trata-se de um culto oferecido de mente e coração, culto espiritual em oposição ao culto cerimonial. E de mente, coração e intelecto. É racional em contraste com aquilo que é mecânico e automático.

O culto racional envolve toda a maneira coerente como nos apresentamos diante de Deus; “Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus. Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e tendo os nossos corpos lavados com água pura.” (Hb 10:21-22)
Além de fazermos a vontade de Deus sendo uma oferta agradável a Ele, precisamos também;

2. NÃO ENTRARMOS NA FORMA DO MUNDO

“E não sede conformados com este mundo” v.2
NVI “Não se amoldem ao padrão deste mundo”
ARA“E não vos conformeis com este século”

Paulo está dizendo para não nos “amoldarmos com o padrão deste mundo”. Temos que ser modelo para este mundo e não o usarmos de modelo. O crente que pretende viver fazendo a vontade de Deus, não pode pôr o pé nessa forma e se amoldar de acordo com o sistema mundano, mas, deve ser transformado pela renovação da mente.

Mundo significa o sistema de valores que a sociedade sem Deus dita e quer que seja aceita. É o sistema do homem natural. Esse sistema mundano quer que o pecado seja visto e aceito em relacionamentos “sem preconceito e sem discriminação”, mas condenados pela Palavra. Chamam de preconceito e tabus princípios que o Senhor nos deu para sermos abençoados na terra. O mundo tenta inverter as coisas, chamando o pecado de virtude, o ilegal de legal, e se você se posicionar contra é taxado de “preconceituoso, ultrapassado e fanático”. Nós precisamos assumir o papel de sermos luz e sal, de ser igreja santa e gloriosa, sem mácula e sem ruga, nem coisa semelhante. Precisamos ser praticantes e não somente ouvintes da Palavra.

O mundo tema sua fôrma, do relativismo moral, da ética situacional e da desvalorização da virtude. A forma do mundo muda todo dia, em vez de entrarmos nela, devemos ser transformados de dentro para fora. Segundo Barclay: “Não devemos ser como o camaleão que assume as cores daquilo que o cerca.” Devemos viver o desafio de sermos modernos sem sermos mundanos. O desafio de sermos o sal da terra e a luz do mundo.
a.      O sal tempera, dá gosto, conserva e causa sede.
b.      A luz irradia as trevas, ilumina o caminho e dirige os nossos passos.
c.       O sal insípido não tem valor, não serve a não ser para ser pisado.
d.      A luz só é luz se estiver acesa, caso contrário, é igual às trevas.

3. TRANSFORMANDO-NOS PELA RENOVAÇÃO DA MENTE

Esta é a única maneira de não nos amoldarmos a este mundo. Pensar diferente dele para agirmos também diferente. E isso só será possível por uma transformação do interior. O termo traduzido aqui para “transformar” é o mesmo que transfigurar. Em nossa língua equivale ao processo de metamorfose: uma mudança na forma e na estrutura do corpo (tecidos, órgãos), bem como um crescimento e uma diferenciação no processo de vida de alguns animais, como os insetos e anfíbios, até chegarem ao estado adulto.

Um grande erudito afirmou que; “se o mundo controla nossa maneira de pensar, somos conformados, mas, se Deus controla nossa maneira de pensar, somos transformados”. Somente uma transformação interior nos fará altamente capacitados pelo Espírito que habita em nós para não nos amoldarmos com as coisas exteriores.

O homem é e faz o que pensa! Um pensamento sem os princípios da Palavra de Deus gera o pecado. Só podemos ter um caráter correto com ajuda do Espírito Santo. No Salmo 51.10 diz: “Cria em mim oh Deus um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável”. Davi reconheceu sua total incapacidade, por si só, de viver uma vida à altura do padrão divino. Então ele buscou a ajuda do Espírito Santo, por uma transformação, uma renovação.

“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas.” Filipenses 4:8

4. EXPERIMENTANDO A VONTADE DE DEUS

A vontade de Deus é que regulamenta a vida do cristão. O experimentar nesse texto, não significa testar ou examinar, mas, aprovar por experiência própria qual é a vontade divina.
  • Se Adão não tivesse desobedecido a vontade de Deus, o pecado não teria entrado no mundo, e com ele, a morte.
  • Se Caim fizesse a vontade de Deus em andar errante pela terra, em vez de edificar cidades, Deus teria preservado a sua descendência em vez de criar outra por meio de Sete.
  • Se Enoque não tivesse andado com Deus e feito a sua vontade, certamente teria experimentado a morte.
  • Se Noé não tivesse seguido a vontade de Deus em entrar na Arca, certamente morreria como os demais. 
  • Se Abraão não andasse segundo a vontade divina em “andar na presença dele e ser perfeito”, Deus jamais faria dele o pai de muitas nações,
  • Se José não fosse dependente do Deus dos seus pais e fiel a vontade dEle, certamente teria blasfemado contra Deus ao ser vendido como escravo. Teria cedido às seduções da esposa de Potifar e pecado contra o Deus. E não teria sido acusado, nem preso e muito menos chegaria ao governo do Egito.
  • Se o povo no deserto tivesse seguido a vontade divina, não teriam morrido no deserto, mas viveria na terra da promessa.
  • Se Josué e Calebe não tivesses cumprido a vontade do Senhor, não teriam sido honrados por Deus para liderarem a maior conquista da história do povo hebreu. 
  •  Se Sansão não tivesse desobedecido a vontade de Deus, não teria sido seduzido pela beleza de Dalila; enganado e preso pelos filisteus; olhos furados e servido de chacotas para um povo ímpio. 
  • Se Davi não andasse de acordo com a vontade divina, certamente não ousaria enfrentar Golias, ou caso o fizesse, seria certamente esmagado pelo gigante filisteu. 
  • Se Davi continuasse debaixo da vontade divina, estaria na guerras com os seus homens e não na tranquilidade do palácio onde se deixou seduzir pela mulher de Urias, cometendo adultério, homicídio premeditado, e não teria atraído a desgraça para a sua casa. 
  • Se Salomão na sua velhice permanecesse na vontade de Deus em não acumular riquezas, cavalos de guerra, mulheres e ouro, não teria terminado os seus dias oferecendo sacrifícios à deuses pagãos de suas esposa. 
  • Se Jesus no Getsêmane não tivesse resistido a angústia da sua alma e se submetendo-se à vontade do seu Pai, seria impossível o milagre da salvação. 
  • Se VOCÊ e EU, não formos encontrado fazendo a vontade de Deus, certamente seremos condenados em vez de galardoados. Jogados no inferno em vez de recepcionados no céu. Eternamente em choro e ranger de dentes em vez de alegrias, paz e gozo eterno.

Pr. Járber Sousa


6 comentários:

  1. Obrigado pela palavra rica e esclarecedora. Deus o abençoe

    ResponderExcluir
  2. Que Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir
  3. Agradeço a Deus por sua vida. Este estudo exegético foi um dos melhores que encontrei sobre Romanos 12:1,2. Que o Senhor alargue a tua tenda e continue te usando para a glória do Nome dEle. Amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pela consideração. Desfrute do que Deus nos tem dado.
      Paz...

      Excluir
  4. gostei vocen prega isso na sua igreja s sim otimo mas penso que voce deve orar um pouco mais para a uncao cubra sua vida deus e bom dando inteligencia aos homens gloria deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, já preguei.
      Tenho orado também, continuamente, independente de pregar ou não. Mas, obrigado pela orientação, orar mais, nunca é demais.
      Paz

      Excluir